Paro pra pensar no meu amor

Amor, a minha chama espontânea:
Acende ao vê-la; inflama na falta;
Deslumbra como Bethânia;
Fogo que aos olhos salta.

Amor, meu fluxo contínuo:
Chão de um caminho sem final;
Viagem misteriosa sem destino;
Oceano que seduz a minha nau.

No amor me amparo
Seu comando eu viso
Amo ainda, e não paro
Só dele escuto o aviso.

— A quem ele se refere
quando vem me procurar?
— Alguém que não mais me fere
pois estou a me curar.

Anúncios

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s