Autobiográfico I / viagem ao centro de mim

Só consigo escutar meu coração
Na frequência de sua serenidade
Quando paro tudo e dou atenção
Aos apelos que ele me diz ser verdade.

Após anos, começo a me entender
E a me explicar sobre o que eu procuro:
Um amor que não me faça esconder,
Me revele à luz, me tire do escuro.

Sou amor, um ser que disso se alimenta
Sou amante, um homem que isso produz
Sou pro meu amor a mãe que amamenta
Sou pro mundo um fio que o amor conduz.

Os meus versos são banhados neste rio
Em que navego, cada dia mais certo
De que vou amar, no vento, chuva ou frio
De que vou sumir, pelo amor encoberto.

Anúncios

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s