Autobiográfico VI / Cenário

Na penumbra sou o verdadeiro eu
De misterioso passo a revelado
Penso em ti, e faço um tema só teu;
Penso em mim, e mostro o obscuro lado.

Meia-luz, que ilumina mais que o dia,
Me desperta quando é hora de dormir
As ideias que, até então, prendia
Vêm ao palco pra cantar “sabor a mi”.

Romantismo é o lençol com que me cubro
Nestas noites que divago internamente
O motor que ronca sangra em fosco rubro
Pra falar o que só eu tenho na mente.

Minha cama vira colcha de retalhos
Ávidas palavras buscando sentido
Mesmo que apareçam em atos falhos
Querem ser amor, a dor, o vindo, o ido.

Anúncios

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s