Sobre as frustrações

“Vale à pena refutar todas as suas expectativas para evitar frustrações? Ou uma vida sem um mínimo de expectativas se torna um tanto vazia e cautelosa demais?”

Ser humano pressupõe propósito, pois o temos em praticamente tudo o que fazemos; quando não, é o instinto que atua. Assim sendo, as frustrações derivam de nossos propósitos na vida, o que inclui expectativas.

Desde que criamos (ou descobrimos) a noção do tempo, começamos a planejar o porvir, que pode não vir inclusive. As expectativas são criação nossa; podemos viver com ou sem elas, mas elas são inerentes a nossa natureza humana, complexa e criativa. Quero dizer com isso que, em alguma medida, precisamos de expectativas quando subimos na pirâmide das necessidades (uma vez bem alimentados, vestidos, seguros etc., resta alimentar as necessidades da mente, do espírito…).

Uma vida sem expectativas é: ou em total desesperança, quando estamos totalmente à mercê do que nos cerca, ou mal resolvida, quando nós não buscamos o nosso próprio sentido da vida, ou uma luta contínua, quando as circunstâncias são adversas, mas temos o mínimo de força para reagir.

Se não estamos em qualquer das três situações anteriores, devemos buscar nosso propósito nesta vida, e empregar nossos melhores recursos nisso. Piegas, claro, mas questões elementares pedem respostas no mesmo tom.

Nosso propósito é um num conjunto que varia entre um e aproximadamente sete bilhões (hoje, pois quantos seres humanos capazes já habitaram este mundo?). Assim sendo, o mundo é um enorme conflito em que nosso querer colide com outros “quereres” (linda música de Caetano; divago). Logo frustrações são esperadas obviamente. Porém o essencial não deve ser dado como desculpa quando se busca o supérfluo (perdoe-me a expressão, supérfluo em relação ao básico, o alimento, a roupa, a saúde etc.). A frustração, invariável e inexorável, virá no caminho de quem tem expectativa, como preço a se pagar pelo prêmio.

Fugir de suas expectativas é fugir de parte da sua essência humana, que tem propósitos, que vislumbra um caminho próprio em relação aos seus irmãos de espécie. É uma afronta àqueles que não podem mover-se por conta própria em direção aos seus sonhos, ou àqueles que já se foram sem ter tempo de perseguir seus objetivos enquanto aqui passaram. Frustrar-se é um dos termômetros da vida: quanto maior a frustração, maior foi a expectativa. Mas não se abale, pois só os maiores podem sonhar grande.

Anúncios

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s