Ensaio de Um Soneto de Amor

De quando Paulino ainda não existia.

O amor transcende em meu ser
como o sangue corre pelas veias;
fiquei submisso a ele sem perceber
tal qual a caça da aranha acoada nas teias.

Hoje uma musa me inspira
a fazer os mais belos sonetos passionais;
minh’alma queima em brasa numa pira
cuja chama quer arder cada vez mais.

Meus sonhos ficaram tão infantis,
até na dor sinto-me feliz…
penso que estou em plena loucura.

Para esse amor canta o sabiá e o colibri
por causa de ti, esse belo sentimento descobri
e, agora descoberto, ninguém mais o segura.

#arquivo

https://pixabay.com/en/feather-pen-defense-group-ink-1378026/

Anúncios

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s