Mar Vermelho II

Quando falta palavra ao poeta
O assunto é abstrato demais
Um desenho sem curva e sem reta
Pra ilustrar um momento sem mais.

Era o breu que nada me dizia,
Era o branco que tudo escondia,
Era o rubro do adorno perfeito,
Eram cores por sobre meu peito.

As ideias que tanto vieram
No tempero que nunca provei
Pelo próximo dia esperam
Pra voar como eu mesmo voei.

A sua vida você me contou
Da sua vida passei fazer parte
Inebriado ainda eu estou
Tanto que faço toda esta arte.

Pensei que tocaria no mar
Porém fui vítima do oceano
Só me restou contigo remar
E esperar outra chance este ano.

woman in black crew neck top wearing white cardigan
Foto por mellamed em Pexels.com

Um comentário sobre “Mar Vermelho II

Que tal?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s